Izabel Dias

 



Quisera um cobertor       Pra aquecer minh'alma       Vou procurar no sonho        Amanhã será outro dia



Sempre Menina


Quando menina
com medo do lobo mau,
quisera crescer
pra ser igual a mim...
Ah! Se eu soubesse
que crescer dói bem
mais que o medo
Que sentia...!
Vou me esconder
da mulher de hoje,
e, sem medo,
encontrar-me
na menina que
ainda vive em mim...
 




Tristeza


Tem dias que a tristeza
vem dissimulada...
Pega carona na brisa suave,
Chega de mansinho...
Se encontrar uma fresta,
transforma-se...
Vira furação,
Arrebenta fechaduras
Escancara todas as portas...
A alma se vê nua
Com vontade de chorar,
Desamparada,
Solitária a soluçar...
A calma chega.
Os soluços diminuem,
Olhos inchados,
Cansados.
O sono corre pra ajudar,
Mas sinto frio,
Quisera um cobertor
Pra aquecer minh'alma;
Vou procurar no sonho.
Amanhã será outro dia,
Prometo não chorar...
 




Anjos Amigos

Existem anjos que
despem-se de suas
asas pra estar entre nós,
como gente.
Com seu carinho,
traz a amizade,
o respeito e fazem
nossa vida mais doce.
Sofrem até mais
que  humanos,
mostrando assim a
presença de Deus
em nossas vidas,
através da humildade.
Ficam durante o
tempo necessário
à sua missão e
quando chega a
hora de vestir as
asas  e alçar novo
vôo para  o lugar
onde é chamado,
deixam muitas saudades,
mas também a certeza
de que fomos abençoados
pela presença deste
anjo carinhoso,
que por onde for
levará a união e o
carinho, fazendo
sempre uma ciranda
de amigos...
Uma e (terna) amizade!
 




Saudades de Mim


Indefinível saudade!
Saudades do que não fui?
Ou do que não vivi?
Saudades do que não sei...
Sinto saudades de mim!
Perdi as asas ao caminhar.
Sozinha, no caminho sem destino,
sento e choro de saudades dos
anos que se foram e me deixaram aqui.
Dormi demais. A vida me sedou.
Sou mulher com vontades de menina.
Sai do prumo, estou sem rumo,
não sei para onde vou...
O espelho me diz que
está tudo bem.
Ele mente.
Vou quebrá-lo.
Superstição?
Quebrarei também.
Ninguém consegue me ver
além de mim...
Espero que ao menos
alguém possa me ler
nas entrelinhas, reticências,
aquém de mim...
Não sou poesia,
Nem poema.
Sou apenas alguém,
com saudades de si...
 




Meu Sonho


Cansada, adormeço.
O sonho chega...
Estou perdida em labirintos,
Está escuro e tenho medo.
Como louca, eu grito...
Você chega...
Não te vejo
Mas te sinto.
Tua presença me acalma,
Teu calor aquece a alma!
Mesmo escuro,
Sei quem és
Nunca te vi,
Sempre te amei.
Uma vida a te esperar,
Em muitos lugares, fui te procurar
Busquei-te em cada alvorecer
Mergulhei em rios escuros
Sufoquei-me em prantos.
Como demorastes a chegar!
A noite se vai
O Sol traz a luz
Abro os olhos e te vejo
Não estou a sonhar
Sinto-te aqui
Em meu peito,
Amor, Você!
 




Lágrimas


Castelos sólidos,
de bela aparência...
Suntuosas construções
cujas fundações se
alicerçam no mais
frio gelo, podem
resistir a anos,
alimentando em
seu interior
vidas geladas,
vazias...
Ausência total
de sentimentos;
imperando tão somente
as aparências...
Medíocres conveniências!
Até que o anjo
da coragem chega
e o medo da vida
explode, sorrindo
para o desconhecido,
vertendo gotas dolentes
dos olhos confusos,
que não mais sabem
se são lágrimas  do
degelo da vida,
de anos perdidos,
falta de amor,
indiferença,
ou se são da alegria
de acordar para
o sol interior e

para o teu amor...
 




Fogo da Paixão


Meu corpo queima
em pleno inverno.
Não há fogo
nem fumaça,
Apenas, a adormecida brasa,
queimando mais
e mais que a
incandescente chama,
Pois é quente e contínua...
Espero o teu sopro
- finalmente-
para a brasa
o fogo gerar...
e meu amor incendiar,
no fogo da paixão,
que arde
em meu coração.
Venha soprar...
Venha, meu ar...
Me queime!
Deixe-me te amar...
 




Não Sou Santa


Preciso gritar,
quebrar a imagem santa.
Virar tudo do avesso,
sem que me perca
de mim e de teu amor.
Sou como a lua,
tua amada, mas
tenho apenas uma fase,
Sou crescente...
A cada dia,
Sou paixão e desejo,
e não me escondo entre
as nuvens.
Não quero altar e
nem oração.
Vou soltar a outra
que há em mim...
Apresentar-te a “mulher louca”
Apaixonada e ousada,
Que domina sentimentos,
encharca tua visão de amor
E sem censura,
Rasga tua pele...
Te faz homem sem demora,
E a cada dia,
Todo dia...
Rezarás comigo
O amor mais verdadeiro.
Sou a louca
e não a santa,
e meu altar,
é teu corpo,
Meu amor...
 




Você, Perfume...


Te fizeram da mesma essência
de outras flores...

Mas teu perfume é singular,
pois tem a força das marés
e a leveza do flutuar.

Tem a medida exata,
que embriaga...
Por onde passas,
Teu aroma afaga,
inebria, contagia
encanta...
e extasia.

Absorvo-te n'alma
te guardo no peito.
Tu és síndrome
e essência de meu viver...

Transforma meu
mundo encantado;
desarruma e arranca
o desejo assanhado...
que acorda em mim...

Te pressinto
em meus sentimentos
e sentidos...
Sempre será chegada a hora
de dizer baixinho agora:
- Chega mais,
meu perfume favorito!
 




Pedido de Perdão


Não deixarei nosso amor
Escorrer entre os meus dedos e
te levar pra outra aurora...
Vim te pedir Perdão!
Quando se tem amor
é necessário partilhar
alegrias e tristezas e
coroar o rei chamado
perdão!
Seus olhos nunca mais
ficarão molhados por
falta de amor,
confiança e carinho.
Não deixarei nuvens negras
se formarem em nosso céu.
Peço perdão por apertar o nó,
te enforcando,entristecendo
teu nobre coração, quando
eu apenas queria,
te abraçar, te afagar...
Prometo,
não inventar mais mágoas,
desperdiçando a mágica do amor
que nos une.
Peço perdão, porque
sei que me amas
e que só deseja
carinho e atenção.
Não quero me perder no
turbilhão de egoísmo e sentir
depois as gotas de saudades
caindo de meus olhos e
corroendo nosso amor...
Venho aqui, apenas te pedir,
Perdão!
 




Corpo e Alma


A noite alforria suas sombras,
E seus fantasmas,
Deixa minh'alma
em constante conflito
com meu corpo.
Ela sabe voar e ir
ao encontro da Paz;
Procura-te em sonhos
e consegue suprir a
necessidade de carinhos,
a falta que me faz...
Mas o corpo, obstinado,
perece na matéria do meu eu;
Teima em aprisioná-la,
torná-la escrava dos ciúmes.
Visões e sentimentos
se confundem.
Minhas idéias
lançam gritos de dor,
gotejam lágrimas sentidas,
transbordando o rio,
que se recusa a secar.
Talvez, fosse eu:
o etéreo...
a brisa que toca tua face,
ou a luz que ilumina
os teus dias,
e eu traria muita paz,
aqueceria tua alma,
seria o teu Sol,
O nosso calor...
Não veria mais o breu da noite
E estaria, pra sempre,
Aconchegada no teu peito...
Quanto a mim,
eu seria só AMOR.
 




Izabel Dias é paulista nascida em Mauá.

Atualmente reside em Guaratinguetá/SP.

Sempre adorou poesia, mas descobriu há pouco tempo

esta magia de falar em versos.

Formada em Ciências Econômicas,

 Automação de Escritórios e Secretariado.

Está iniciando seu vôo na poesia.
 


Se você gostou indique o endereço: http://www.almadepoeta.com/izabel_dias.htm
Veja também: http://www.almadepoeta.com/poetas3x4a.htm
Envie seu comentário para o e-mail da autora:
belgod@hotmail.com


Tenha sua Página Pessoal no Alma de Poeta


Clique na imagem acima.


home    galeria de arte    poetas em destaque    poetas 3x4    poetas imortais    colunistas    cinema    concursos

páginas pessoais     agenda poética     poetas no You Tube      fala poesia     oficina virtual      histórico

Clique e entre



Seu site de poesia, arte e algo mais...

www.almadepoeta.com

Alma de Poeta
©Copyright 2000 / 2009 by Luiz Fernando Prôa

08/08/2007