Poetas 3 x 4

Denilson Cardoso de Araújo
Teresópolis - RJ



Milagre


O imprevisto acontecido

quando era o necessário,

acaso não é.

 

Milagre é seu nome.

 

Caos não existe.

É uma comida que Deus come.

 

O revolto mar que se cuide

em suas fomes.

 

Este barco tem comandante.

 

De fortuna infinita

e vasto renome.
 



Lenha e Chama


Razão é uma límpida lente.

Desta ótica despida,

descoberta alguma é conseqüente.

 

A fé é um lume.

Ao olho acende uma vela.

Aí, em desveladas visões

o coração é que ascende.

 

Uma compreende a casca,

enquanto a outra mensura a

floresta em semente.

 

No preparo do pão,

a razão busca lenha e carvão.

Mas é a fé que os labareda.

 

Queima assim,

no colo da geometria evidente

a sarça serena que se revela poesia vidente.

 



Denilson Cardoso de Araújo nasceu em Petrópolis (RJ), em 1959.
É serventuário da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Teresópolis.
Autor de textos jurídicos, alguns premiados em concursos da AMAERJ
(Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro) e da FESP
(Fundação Escola do Serviço Público do RJ). Palestrante sobre temas ligados à
infância e juventude. Já foi colunista de jornais em Petrópolis e Teresópolis.
    Publicou 'Luzes do Meu Caminho' (1980), edição do autor;  'Poesia em família' (1987),
Edições Pirilampo;  e 'Farrapos, Cacos & Escreveduras' (1992), edição do autor.
    Como artista plástico já fez exposições, ilustrações para jornais
e comercializa seus próprios trabalhos.


Conheça a página pessoal do autor:
http://www.almadepoeta.com/denilson_cardoso_de_araujo.htm
E envie seu comentário para o e-mail: denilson_araujo@uol.com.br
Se você gostou indique o endereço: www.almadepoeta.com/poetas3x4.htm

Voltar para Poetas 3 x 4



home    galeria de arte    poetas em destaque    poetas 3x4    poetas imortais    colunistas    cinema    concursos

páginas pessoais     agenda poética     poetas no You Tube      fala poesia      entrevistas      histórico

Clique e entre


Seu site de poesia, arte e algo mais...


©Copyright 2000/2011 by Luiz Fernando Prôa