Poetas 3 x 4

Augusto Sérgio Bastos


O milagre do pão ou
Receita para fazer poema

  

Para fazer o poema   

é preciso pôr a mão na massa. 

 

Escolher os ingredientes:    

as palavras na medida certa 

- trigo e fermento 

para o poema crescer. 

Uma pitada de sal não pode faltar.

Açúcar, um pouquinho só: 

dos açucarados devemos ficar longe. 

Mas há poema doce e de sal, 

sovado, light, integral. 

 

Capriche na forma e evite as formas. 

Não enfeite demais, 

no miolo está o valor do poema. 

Mexa, remexa,

trabalhe bastante. 

É preciso comer o pão que o diabo amassou, 

mas não deixe o suor à vista. 

Pequenos cortes darão vida 

e consistência. 

Quando estiver pronto, 

deixe-o descansar 

- na gaveta. 

Não há forno para poema. 

É no calor do leitor que crescerá.

 

Muitos dizem que ele não é necessário, 

mas a alma precisa comungar com a poesia.  

No poema a hóstia será consagrada

e o pão nosso virá a cada dia. 

 
 



A estátua

 

       No mar estava escrita uma cidade.

                      Carlos Drummond de Andrade

 

Ser estátua

não é pedido que se faça.

E ele nem pediu.

 

No banco de pedra, de costas pro mar,

pensa a cidade.

Acolhe pombos e aves agourentas.

 

No meio-dia branco de luz,

o menino permanece sozinho.

O homem atrás dos óculos

quer a sombra de amendoeiras.

Tem oitenta por cento de ferro na alma.

Cem por cento de bronze na eternidade.

 

Alguns anos viveu no Rio de Janeiro,

serviu à cidade

que agora de nada lhe serve.

 

Ao povo sem memória,

a história mais bonita,

comprida história que não acaba mais.

 
 




Augusto Sérgio Bastos nasceu e mora no Rio de Janeiro.

Graduado em Administração e Engenharia. Membro da Comissão Editorial do jornal Poesia Viva (RJ) e do Conselho Editorial do jornal de literatura Panorama da palavra (RJ). Durante o ano de 2001 participou como organizador e apresentador do evento “Café Letrado” na Livraria Contra Capa (RJ).

 Prêmios: “Orpheu” da UBE - 1o lugar (Poesia) - Rio-RJ -1996; “Festival SESC Copacabana de Poesia”- 1o lugar (Poesia) - Rio-RJ -1998; “Prêmio FEUC de Literatura”- 1o lugar (Conto) - Rio-RJ - 2001

“III Prêmio Antônio Ribeiro Júnior” - 1o lugar (Poesia) - Tatuí-SP - 2002; “16o Festival de
Poemas de Cerquilho” - 1o lugar (Poesia) - Cerquilho-SP - 2003

 Publicações: (Livros) O branco improvável (poesia) – Editora UAPÊ – RJ – 2002;

               Melhores crônicas de Ferreira Gullar (seleção e prefácio) – Global Editora – SP – 2004;  

(Ensaios) “Ferreira Gullar – Poesia: paixão e consciência”. In: Poesia Viva em Revista, v. 1, org. Leda Miranda Hühne – 2004; “A última entrevista de Castro Alves”. In: Poesia Viva em Revista, v. 2, org. Leda Miranda Hühne – 2005; (Antologias): Participou de 26 coletâneas.
 


asbastos43@hotmail.com
Se você gostou indique o endereço: www.almadepoeta.com/poetas3x4.htm

Voltar para Poetas 3 x 4



home    galeria de arte    poetas em destaque    poetas 3x4    poetas imortais    colunistas    cinema    teatro    concursos

páginas pessoais     agenda poética     ebook      entrevistas      histórico

Clique e entre




www.almadepoeta.com


Alma de Poeta
 
© Copyright 2000 / 2007 by Luiz Fernando Prôa